O que é rubor facial?

Rubor facial ou Eritrofobia é um súbito vermelhidão da face que ocorre espontaneamente, sem causa nenhuma aparente, em ocasiões banais do dia a dia, com pessoas conhecidas ou em resposta a estímulos de stress. O rubor facial pode se estender até o pescoço, testa, orelhas e parte superior do tórax.

O rubor facial é visto como um rosto vermelho brilhante que se desenvolve rapidamente, mas que pode desaparecer lentamente. Os pacientes também podem sentir o calor facial antes do início de rubor facial. Isso é descrito como uma sensação de queimação, formigamento ou rubor (vermelhidão). Também podem sentir aceleração do coração (taquicardia), aceleração da respiração (taquipnéia), dificuldade de concentração (naquele momento) e vontade de sair correndo, de desaparecer.

O rubor facial em excesso pode ocorrer sozinho ou pode ser uma parte da síndrome de transpiração excessiva e hiperidrose quando ocorrer além do rubor também um suor em excesso geralmente na face ou nas mãos.

O rubor facial em excesso é causado por excesso de atividade do sistema nervoso simpático. Esta é a parte do sistema nervoso central involuntário. Portanto, não é possível controlar ou detê-lo voluntariamente. Em razão disso, é lançada uma mensagem exagerada (errada) que provoca no organismo a liberação de adrenalina, dilatando as artérias da face e/ou pescoço e/ou tórax e/ou braços gerando o rubor em excesso e uma sensação de ardência e/ou calor e/ou queimação nos locais (especialmente na face). Isso pode acontecer mesmo quando está sozinho, a ver televisão ou falar ao telefone.

Rubor facial em excesso é uma condição comum?

Aproximadamente 0,2% da população mundial sofrem desse mal. Há uma maior incidência em elementos da mesma família e em descendentes de poloneses, alemães e outros povos de pele clara.

Quais os sintomas do rubor facial em excesso?

Rubor facial

O rubor (vermelhidão) considerado normal é aquele associado com as interações públicas ou situações constrangedoras em que ficamos envergonhados. Essa situação ocorre poucas vezes em nosso dia-a-dia, dificilmente mais do que uma vez por semana e isso é considerado normal. Muitas vezes, a menopausa pode causar ondas de calor e rubor, o que não caracteriza um sintoma do rubor. O rubor em excesso não pode ser confundido também com a rosácea (uma doença crônica da pele) onde pode ser utilizado tratamento a laser para diminuir os vasos sanguíneos visíveis.

A medida que o rubor acontece em excesso, pode levar a pessoa a evitar contatos sociais e situações que estimulariam corar. Pessoas que sofrem de rubor facial são constantemente ciente deste problema e tem dificuldade de concentração. Isso pode afetar todos os aspectos de suas vidas, incluindo objetivos de carreira, conquistas acadêmicas e da vida social.

Rubor facial em excesso tem cura? Quais os tipos de tratamento?

Sim, o rubor facial excessivo pode ter cura. Muitas formas de tratamento estão disponíveis e costumam ser desde não-cirúrgicas até cirúrgica.

Dentre as não-cirúrgicas estão os medicamentos orais e tentativas com psicoterapia.

A intervenção cirúrgica é baseada no bloqueio de gânglios da cadeia simpática (simpatectomia ou simpaticoclipagem), realizada através de pequenas incisões por videocirurgia, e pode representar a cura definitiva para os pacientes que sofrem desta condição.